Tudo pelo social

Já defenestraram o senhor reitor. Mas não é o bastante. Até porque não se trata de qualidade de ensino. Se trata de exercer o dolce far niente. Tal como os invasores da USP ano passado, esses “alunos” não passam também de ladrões do meu, do seu dinheiro.

E agora exigem maior participação na eleição dos novos reitores daqui por diante. Estudante não tem que votar em coisa nenhuma. Quando muito na direção do centro acadêmico e olhe lá. O resto é democratismo de botequim, apoiado pelo pessoal das umanas.

E por falar em umanas, voltou à baila essa coisa de inserir Sociologia no ensino médio. Como sou uma nulidade nas ciências ditas humanas, fui lá ver o que é que querem ensinar aos nossos filhos. Fucei num monte de sites, do governo ao sindicato dos sociólogos. Paper pra todo lado. Palavrório que não acaba mais. Resumo (e vocês podem conferir procurando também): eles mesmos não sabem. Ainda estão discutindo o que e como ensinar. Que diabo de “ciência” é essa que nem seus especialistas conseguem sequer concordar no que seria uma grade curricular?

De qualquer modo aprendi bastante. Como os brasileiros não parecem levar a coisa a sério, fui dar uma voltinha lá fora. É outra coisa. Boas discussões, livres de ideologismos baratos.

Lendo um debate interessante entre dois sociólogos vivos (um francês e um irlandês), fiquei sabendo que existiu um certo Marcel Mauss (1872 – 1950). O tal escreveu um livro chamado Essai sur le Don (Ensaio sobre o Dom, ou The Gift). A idéia central é (mais ou menos) que não existe almoço grátis, nem mesmo nas trocas que fazemos a todo momento entre nós. Vale uma espiada, até porque fala muito do que fazemos aqui nos blogs, no trabalho, nas relações afetivas. Outra coisa interessante do sujeito é Esquisse d’une Théorie Générale de la Magie – uma visão interessante sobre o tema, principalmente pela separação do rito religioso.

Se vocês quiserem recordar um pouco de francês, as obras de Mauss podem ser encontradas no site da Universidade de Quebec, bem aqui. Se quiser ver uma boa coleção de obras relacionadas para dowload, vá neste índice aqui. Mas cuidado: lá tem também Lombroso (aquele criminologista maluco), Marat, Rosa de Luxemburgo e Nietzsche.