Sintonizando

Você ouve rádio pela internet? Eu ouço. E não apenas porque gosto de trabalhar com música ao fundo.

Quando criança e depois adolescente, aeromodelos e rádios eram minha paixão. Não só construía transmissores para falar com o mundo (falar com alguém em Minas Gerais, àquele tempo, tinha gostinho de “falar com o mundo”) como também gostava de explorar buscando emissoras comerciais distantes com o velho e bom Transglobe da Philco.

O mesmo prazer a gente pode ter hoje explorando as “ondas hertzianas” da web. Tenho uma pequena coleção de preciosidades, como uma emissora especializada em tango na Ucrânia, uma de notícias em inglês na China e ainda outra que transmite ao vivo as apresentações das salas de música de Viena.

A que mais “sintonizo”, além das nacionais de notícias e MPB é a 1.FM (www.1.fm). Lá você pode escolher entre muitos canais temáticos. O meu predileto é Adore Jazz. É só entrar lá e clicar no link – os canais estão em ordem alfabética. Não é uma emissora de jazz clássico, mas de música popular com bossa de jazz. Uma delícia. Recomendo.

Mas a minha queridinha – pelas músicas e pelo que representa – é a Rádio Collector’s MPB (www.collectors.com.br). Mantida por um estúdio de Teresópolis (RJ), a rádio possui um acervo invejável de música brasileira dos anos 30, 40 e 50. Se você é amante da música brasileira, estudioso ou meramente velhusco como eu, vale a pena dar uma passada. Aliás, acho que todos deveriam ouvir ao menos um pouquinho, porque as letras nos falam muito de um país (e uma sociedade) que não existe mais: simples, ingênuo às vezes, apaixonado e, sobretudo, muito bem humorado. A Collector’s é pequena (máximo de 30 ouvintes por vez), o que torna a “sintonia” às vezes difícil. Não desista: espere um pouco e tente outra vez – ou faça isso tarde da noite.

Finalmente, uma dica. Se você for mordido(a) pelo bichinho do rádio via internet, invista em um sistema de som de qualidade para o seu PC. Eu recomendo um 2.1 (com subwoofer) de qualquer boa marca (eu uso um Creative).