Oh! Como sofre o militante (2)

Canto II

A obediência é uma virtude

“Vai malhando meu docinho
esse teu corpitcho
Que eu sigo procurando
mesmo que no lixo
Exemplar de O Capital
que colarei com cuspe
Depois passo e te levo
pra comer no CRUSP”

Já faz anos que entrei na minha faculdade
Mas um verso não consigo com facilidade
Que aqui onde eu estudo a tal filosofia
Só ensinam a fazer greve e muita apologia

Mas notícias vou te dar aqui desta São Paulo
Que da ONG e do partido quero ser arauto
E confesso já não sinto o meu velho tezão
Que sentia quando vinha uma nova eleição

O esplendor de nossos quadros desde que falamos
Já desmilinguiu-se um pouco (escândalos profanos)
Exceção ao Suplicy que quase nunca peca
Só circula no Senado a ostentar cueca

Berzoini uma promessa, lider inconteste
Presidente do partido fez coisa que preste
Ao gerir o ministério que ganhou no anzol
Pôs na fila a velharada e mandou tomar sol

A Martinha uma rainha que nos deu o CEU
O seu nome resolveu jogar ao beleléu
Pois depois de fazer túnel que nunca se quis
Largou tudo inundando e foi-se pra Paris

Tinha ainda o João Paulo de grande futuro
Um paulista arrematado de alto coturno
O seu nome era cotado, já não é mais não
Dado o tanto que mentiu no affair do mensalão

Ou seria Mercadante o nome preferido
Se não fosse o seu prestígio todo consumido
Ao fazer de uma promessa uma palavra oca
Com Sarney mandando o Lula lhe calar a boca

Só ficou então Palocci, a jóia da coroa
Que safar-se de um processo sabe numa boa
Mas já teme que o paulista em golpe traicoeiro
Se recorde o que ele fez ao tal pobre caseiro

E contudo minha amada, não desiste não
Que areia ainda tem neste meu caminhão
Já que esquece a burguesia que nosso partido
Tem o pulso e inteligência de um lider jodido

Pois a ver lá do Olimpo a terra devastada,
Vai sacando do colete, assim como se nada
Novo nome de respeito, quase sem sequela
E o enfia Lula abaixo por nossa goela

Cuida e seja obediente, em tudo te pavones
Anda defender no grito o tal de Ciro Gomes
Que depois de ser eleito, o estado ao Deus dará,
Nos arruma um empreguinho lá no Ceará.