Drops com (muita) cerveja

Foram semanas de preparação. Missão difícil, complexa e importante na qual eu teria uma participação decisiva . Alguns amigos acompanharam minha ansiedade e meus receios. Infundiram-me confiança e ficaram torcendo. Pois valeram a torcida e as boas vibrações. Não poderia ter acontecido resultado melhor. Um enorme beijo a todos e um abraço agradecido.


Não posso dar meu roteiro completo, que a concorrência está de olho (risos), mas depois de dois dias de duras reuniões no interior da Alemanha estou de volta à Frankfurt que eu gosto tanto. Viagem fria e nublada, um pouquinho de nada de neve, mas o coração levíssimo.


O’reilly Pub Frankfurt

Comemoração? Claro: um Beef and Guiness no O’Reillys, um pub irlandês como só se encontra na Alemanha. É uma espécie de goulash com cogumelos e cebola cozidos na cerveja. Fica bem em frente à estação central do trem, a Haupbahnof. Depois uma caminhada até atrás do EuroBank na Willi Brandt Platz para um chocolate quente com conhaque no ExtraBlatt onde a proprietária, a Dilber, sempre nos recebe com uma dose extra de hospitalidade.


E por falar no Euro Bank, que nada mais é que o banco central europeu, uma coisa muito engraçada. O prédio, como se pode imaginar, é cercado de segurança. Nem mesmo pela calçada junto ao prédio se pode caminhar. Pois não é que no lado que dá para a praça há uma rampa de acesso a uma discoteca — aparentemente um point a julgar pelo estrondoso movimento — localizada no subsolo do banco? Vai entender.


Sabe aquela peça, os Saltimbancos, do Sérgio Bardotti e música do Chico? Que virou filme com os Trapalhões? A Bia adora o disco, e a gente ouve no carro e canta junto quando sai. Eu acreditava ser uma estória criada para a peça. Descobri que não. É baseada no conto Os Músicos de Bremen, dos irmãos Grimm. Santa ignorância a minha. Vai daí que o Uwe, um novo amigo alemão, nos levou para ver a estátua do Burro, do Cachorro, do Gato e do Galo (que virou galinha na versão brasileira). É atração turística em Bremen.


Agora reparem bem na foto da estátua de bronze dos quatro músicos. As patas do burro estão mais claras, sem nenhuma pátina. É que, diz a tradição, se alguém postar-se bem em frente à estátua e tomar com as mãos as pernas do burro, vai ter muita sorte na vida. Tirei as luvas  e agarrei o bronze geladíssimo com as mãos nuas e muita vontade. Fiquei grudado. Não fosse o café quente e as boas gargalhadas dos alemães estaria lá até agora.
Mas não é que a mandinga está funcionando?