Dane-se a ideologia

Seu coxinha!
Mortadela!
O ódio brilhava intenso
nos olhos dele e nos dela

Mas a chuva traiçoeira
esfriou a xingação
correram todos pro bar
sem mais manifestação

A moça olhou o moço
não era de jogar fora
O moço olhou para a moça
comeu c’os olhos na hora

E quase que sem querer
num impulso irresistível
Sentaram-se pra beber
e seguiu-se o impossível

Com uma febre sem cura
deseja dele o embutido
E vai o moço à loucura
nas coxas dela perdido

Foi lá no Cachoeirinha
Mortadela deu à luz
Foi assim que veio ao mundo
Washington Lenin da Cruz

(Casaram e foram felizes para sempre)