Consequencias

Consequencias

Cinco horas. Ele passa pelo corredor a caminho da garagem (e do happy hour). Vê a luz acesa na sala do amigo e resolve dar uma paradinha.
— Vai ficar mais?
— Vou, né? – responde o amigo desolado – Tenho um relatório para entregar amanhã bem cedo. Isso aqui ainda vai longe.
De repente o amigo se anima.
— Ah, olha aqui uma foto que a Tininha me mandou!
Clica alguma coisa no computador e a imagem aparece, grandona, na tela.
— Mas isso é lá no colégio!
— Pois é! Bons tempos.
Na foto, um grupo de jovens sorridentes, segurando cartazes.
— Olha aqui a Tininha…
— Gostosa.
— Muito gostosa.
— Isso não foi num daqueles dias da invasão?
— Foi. Um barato. O sistema balançou com o movimento. Você não estava lá, estava?
— Eu? Nem pensar, cara. Meu pai era barra pesada naquele tempo. Me fez ficar em casa estudando. E depois, nunca fui muito dessas coisas, você sabe.
— É. Eu sei.
— Bom… eu vou indo. Me manda uma cópia por e-mail.
— Mando sim.
— Então até amanhã!
— Até amanhã patrão.