Profecia

Profecia

Por razões que em breve saberão, estou reunindo material de objetos que ocuparam lugar de relevância na minha vida. Uma dessas coisas é um brinquedo…

Ler post →
Queridos amigos:

Queridos amigos:

Como o Walmir disse no comentário da postagem anterior, o Assertiva completou dois anos ontem, dia 26 (sim, Anne: você está certa). E eu pretendia,…

Ler post →
Seleção natural

Seleção natural

Um imbecil resolve trocar um chuveiro. Estando abaixo do nível intelectual mínimo exigido aos primatas superiores no quesito sobrevivência, o energúmeno apoia uma das patas…

Ler post →
Nem só de guitarra vive o homem

Nem só de guitarra vive o homem

Serginho arriba na terra de Cabral, vindo dos domínios do Shwazenegger. Liga pra redação ambulante do Assertiva: — Cara, você tá sentado? Na verdade estava….

Ler post →
Lembranças de chão de fábrica (1)

Lembranças de chão de fábrica (1)

O mela-eixo entrou esbaforido na minha sala. — Seu Ernesto! Corre, faz favor! O Edgar sofreu um acidente! Todo lubrificador, em qualquer fábrica do país,…

Ler post →
Vitrines

Vitrines

O Shopping é o Villa Lobos, que Walmir, Bruno e eu chamamos simplesmente de “o clube”. Urbanóides empedernidos, não trocamos o tíquete de estacionamento do…

Ler post →
Plano B

Plano B

Eu tinha acabado de comprar meu primeiro carro, um fuscão verde, placa WM1166. Naquele verão minha namorada era a Sônia Virginia. Não era bem verão,…

Ler post →

O quarto mágico

Em São Vicente, ali na Antonio Emerich entre a Praça do Correio e a Primeiro de Maio, havia antigamente uma farmácia. Chamava-se Farmácia Nacional, se…

Ler post →
Mutantes em Sampa

Mutantes em Sampa

O novo CD duplo e o DVD dos Mutantes foram lançados e estão nas boas lojas do ramo. Imperdível. Quem achava que a nova edição…

Ler post →
E foram felizes para sempre

E foram felizes para sempre

Os franceses chamam de igreja. Igreja de Saint-Eustache. Mas é uma catedral. Menos famosa que Notre-Dame, mas não menos importante para a história. Foi a…

Ler post →