A carta do jogo

No baralho da vida
Tu foste a carta do jogo
(Jorge Lemos)
 Sei das cartas
Quaisquer cartas
Cheias mãos
Longas canastras
A dinheiro
Ou entre irmãos
Pif, pôquer, mico,
Truco!

Sei das cartas
Do tarô
O enforcado
A pitonisa
Não me digam,
Não precisa
Leio a sorte
Vejo a morte
Teu destino
Sei de cor

Chega a vida trapaceira
Travestida de parceira
Convidando-me a jogar
Um jogo desconhecido
E nem se deu ao trabalho
De embaralhar o baralho
De cartas tão desiguais

Virei a primeira delas
Tornou-se meu corpo um fogo
Sentido não encontrando
Que na carta uma figura
Eras tu lânguida e nua
Na carta do jogo
Um anjo