Marie

Marie

Ai de quem sabe como…

Ler post →
O beijo no asfalto

O beijo no asfalto

Avenida Bandeirantes, perto das nove da noite. O tráfego já escoado, o carrinho a razoáveis sessenta. Maria Bethânia canta Melodia Sentimental, de Villa Lobos com…

Ler post →
Naufrágio

Naufrágio

E tantos foram os tempos E tantos os ventos Que me perdi Na água do útero E na água do pranto E em todas as…

Ler post →
Procela

Procela

Vento! Vento! Vento! Vento!

Ler post →
Navega-me

Navega-me

Soneto XIV (Anjo Viajante) Não peças que te aponte o rumo certo Nem que te ajude a levantar a poita Nem dos recifes cuide que…

Ler post →
Piracema

Piracema

Ele chegou pela trilha que ladeava a represa. Estacou à margem, olhou em volta. Uma pedra seca, onde um poço amansava a água. Sentou. A…

Ler post →
Para o Flávio

Para o Flávio

Não há que levar as palavras a sério. Há que brincar de roda com elas, de pega-pega, de mãe-da-lata, de uma-na-mula. Ah! E de esconde-esconde…

Ler post →